Como é realizada a cirurgia de bexiga?

A cirurgia de bexiga é realizada em inúmeras ocasiões, no entanto, ela é considerada um tratamento fundamental para o câncer. O câncer de bexiga afeta homens e mulheres das mais diversas idades, contudo a incidência maior ocorre em pessoas do sexo masculino de idade avançada. Além deste fator de risco, os fumantes, pessoas que tenham padecido de outras tipos de câncer e caucasianos são sérios candidatos a sofrer com esta doença. Independente do estágio do câncer de bexiga, a cirurgia é considerada uma alternativa viável e de extrema importância.

Em alguns casos, o tratamento do câncer de bexiga inclui outros tratamentos além da cirurgia. Nestes casos, a bexiga é preservada. Nos casos de câncer de bexiga em estágios mais avançados é recomendada a realização de uma cirurgia no intuito de retirar parte da bexiga ou a bexiga inteira. Além disso, a quimioterapia também pode ser associada.

Como é feita a cirurgia de câncer de bexiga?

Para a realização do tratamento do câncer por meio da cirurgia de bexiga pode ser feita a remoção do tecido canceroso por meio da uretra, a Ressecção Transuretral (RTU) de bexiga. Durante o procedimento, é inserido um aparelho denominado ressectoscópio na bexiga, através da uretra. Para a realização da cirurgia, que tem como objetivo a retirada de tumores superficiais da região afetada, é preciso submeter o paciente à anestesia regional ou geral.

Também pode ser feita a remoção completa ou parcial do órgão em casos mais graves. A retirada completa chama-se cistectomia radical. A cirurgia de cistectomia envolve uma incisão no abdome e o e a anestesia é geral. Após a remoção da bexiga, um reservatório é feito, para substituí-la utilizando uma parte do intestino.

Cirurgia para correção da incontinência urinária de esforço

A incontinência urinária de esforço é quando ocorre a perda involuntária de urina através de jato ou gotejamento, durante alguns esforços como o ato de tossir ou espirrar, realizar exercícios físicos e levantar determinados objetos. Geralmente é ocasionada devido a um enfraquecimento ou ruptura dos ligamentos e músculos que sustentam ou ficam ao redor da uretra, mas também pode surgir por conta de complicações posteriores nos partos, mudanças hormonais na menopausa ou cirurgias vaginais, no caso das mulheres. Nos homens é comum surgir por problemas prostáticos ou após cirurgias de próstata.

Algumas avaliações são realizadas, com o intuito de identificar se há a presença da incontinência urinária de esforço e tratá-la o quanto antes, com as medidas cabíveis. Primeiramente, é necessária uma consulta com um urologista e o exame físico, para verificar se há perda de urina e também o exame de urina, para descartar uma possível infecção. Por último, é realizada a avaliação urodinâmica, principal método de detecção da doença e dessa forma o médico pode saber se o tratamento será clínico, com medicamentos e/ou fisioterapia, ou através da cirurgia.

Dependendo do grau de severidade, a opção adequada é a intervenção cirúrgica. Nas mulheres, a cirurgia consiste em colocar uma faixa de  material sintético abaixo da uretra, com o intuito de mantê-la na posição correta e evitar a perda de urina. Atualmente, os métodos de realização do procedimento permitem ao paciente uma rápida recuperação, curto período de internação hospitalar e retorno precoce às atividades habituais.