Durante muitos anos foi recomendado aos pacientes que frequentemente apresentavam cálculo renal que diminuíssem sua ingestão diária de cálcio, objetivando limitar a absorção intestinal do mesmo e consequentemente diminuir sua eliminação na urina. Naquela época sabíamos que este paciente tinha um nível aumentado de cálcio na urina conhecido como hipercalciúria.

Um estudo realizado em 1993 demonstrou, após avaliar mais de 45000 homens, que uma dieta pobre em cálcio aumentava o risco de formação de cálculo urinário em 51% quando comparado a pacientes que ingeriam uma quantidade adequada desta substancia. Posteriormente outros estudos chegaram à mesma conclusão avaliando mulheres em várias faixas etárias. A dieta rica em cálcio e vitamina D não só diminui o risco de formação de cálculo renal como também é um fator protetor contra a desmineralização óssea, mais conhecida como osteoporose.

 E por que isto ocorre?

A maioria dos cálculos renais são compostos por cristais de oxalato de cálcio.

Quando se tem uma dieta pobre em cálcio isto faz com que ocorra uma maior absorção intestinal de oxalato. Após entrar na corrente sanguínea o oxalato passará pelos rins levando a uma situação conhecida como oxalúria (aumento do oxalato na urina). Esta grande quantidade de oxalato na urina se ligará ao cálcio ali presente (lembra da hipercalciúria descrita acima?) levando à formação de cristais de oxalato de cálcio que se agruparão formando o cálculo renal.

O cálcio quando ingerido em quantidade adequada se liga ao oxalato ainda no intestino delgado impedindo a absorção de oxalato livre fazendo com que ele não chegue até os rins, evitando assim a formação do oxalato de cálcio e consequentemente do cálculo renal.

Importante lembrar que aqueles pacientes que ingerem pequena quantidade de cálcio na dieta também apresentam maior risco de desmineralização óssea, mais conhecida como osteoporose.

Em decorrência disso a dieta com restrição de cálcio não é mais recomendada para o paciente formador desse tipo cálculo renal (cálculo de oxalato de cálcio).

Qual a quantidade de cálcio que preciso ingerir diariamente?

Para um adulto, a quantidade diária recomendada é de 800 a 1200 mg, preferencialmente proveniente de alimentos que possam ser ingeridos no nosso dia a dia, dentre eles:

  • Leite, iogurte e queijos
  • Sardinha
  • Amêndoas
  • Brócolis, espinafre, couve.
  • Semente de linhaça, aveia
  • Laranja
  • Soja

Do exposto acima concluímos que uma dieta rica em cálcio além de nos proteger da formação de cálculo renal também evita a osteoporose.

Referência:

1- Calcium Intake and Urinary Stone Disease
Transl Androl Urol. 2014;3(3):235-240.

Crédito da Imagem:

http://www.cancercouncil.com.au/