Como o nome já sugere, incontinência urinária é a perda da capacidade de se conter a urina, a perda do controle da bexiga. É um problema bastante comum e muitas vezes constrangedor, pois em determinados níveis, mesmo o ato de tossir ou espirrar pode levar a incontinência urinária.

No Brasil, a incontinência urinária afeta pessoas de todas as idades, especialmente idosos, chegando a mais de 10 milhões de brasileiros. Ela pode levar a outros problemas no trato urinário, como inflamações e infecções, causar dores e ardência. No entanto, o maior desconforto é de cunho social, pois o problema pode ser constrangedor, reduzindo em parte  a qualidade de vida das pessoas.

Causas da incontinência urinária

No que concerne a dieta, o consumo excessivo de alimentos irritantes para a bexiga podem estimulá-la e levar a episódios de incontinência urinária. Neste sentido, álcool, cafeína, refrigerantes, alimentos ácidos e cítricos podem estimular a incontinência.

Problemas ou alterações físicas que atinjam o trato urinário também podem levar a um quadro de incontinência. Aqui podemos citar várias razões, como gravidez, parto, envelhecimento, menopausa, histerectomia, aumento da próstata, câncer de próstata, obstrução do trato urinário, distúrbios neurológicos, tais como esclerose múltipla, doença de Parkinson, AVC, tumor cerebral ou até mesmo lesões na coluna vertebral.

Tratamento da Incontinência Urinária

Consultar-se com um urologista é fundamental para o devido tratamento da incontinência urinária. Dependendo das características e do grau do problema, há diversos possíveis tratamentos: técnicas comportamentais, estimulações elétricas, prescrição de medicamentos, inserção de dispositivos médicos para o controle da bexiga, cinesioterapia do assoalho pélvico ou outras.

As técnicas comportamentais tem por objetivo o treinamento da bexiga para o funcionamento correto, de forma a aumentar os intervalos entre micções. Já a cinesioterapia do assoalho pélvico consiste em exercícios recomendados por médicos e fisioterapeutas para o fortalecimento da musculatura do assoalho pélvico. Em alguns casos, a injeção de dispositivos médicos irá diminuir a perda da urina. Intervenções cirúrgicas, como o Sling e a suspensão do colo da bexiga também são alternativas.

O melhor tratamento paliativo para reduzir os danos sociais e melhorar a qualidade de vida de uma pessoa com incontinência urinária é a utilização de absorventes, roupas de proteção ou cateter. Estas medidas ajudarão no desconforto causado pelo vazamento de urina.