A cistectomia é a cirurgia através da qual é retirada unicamente a bexiga ou bexiga e próstata. Neste último caso ela é denominada cistoprostatectomia radical. As cirurgias deste tipo são realizadas quando ocorre a detecção de um tumor invasivo de bexiga. Atrelada à retirada do órgão, está a confecção de uma nova bexiga ou reservatório que tenha como objetivo alojar a urina. Normalmente, utiliza-se uma porção do intestino delgado para esse fim. Neste reservatório, confeccionado com a parte do intestino delgado, são reimplantados os ureteres que trazem a urina dos rins.

A cistectomia é realizada mediante a aplicação de anestesia geral. Essa cirurgia é a melhor opção em casos de tumores invasivos. Existem, no entanto, outros procedimentos que podem ser usados antes deste tratamento mais extremo, em casos de tumores superficiais e menos agressivos como a ressecção endoscópica (RTU) e a terapia tópica – que são medicamentos injetados no interior da bexiga através de sondas.

Cistectomia parcial

A cistectomia parcial é uma cirurgia na qual é removida uma porção da bexiga e os extremos são unidos de novo. Algumas vezes, é realizada em pacientes com grandes tumores superficiais no intuito de evitar a retirada total da bexiga. A principal vantagem desta cirurgia é a conservação da bexiga e o fato de não ser necessária uma cirurgia de reconstrução.

Ainda existem divergências no que tange a aplicação da cistectomia parcial ou total da bexiga. Quando o tumor não é muito grande e está bem localizado, pode ser removido com segurança. No entanto, há a possibilidade de que apareçam outros focos de câncer em outras porções da bexiga.

Após a realização da cistectomia parcial, é possível que o paciente não consiga reter a urina na bexiga. Esta situação é na maioria dos casos transitória, contudo, pode se estender por um período mais longo. A bexiga restante pode também não ser capaz de conter muita urina, o que implica numa micção mais frequente.

Cistectomia total

Na cistetomia total retira-se a bexiga e os tecidos junto aos órgãos que estão próximos a região. Nos homens, também é frequentemente retirada a próstata, assim como as vesículas seminais. Já nas mulheres, pode haver também a retirada do útero, ovários, trompas, porções da vagina e uretra.

Vale a pena lembrar que a utilização de um ou outro método varia conforme o caso, sendo importante a avaliação do tipo, grau, extensão e localização do tumor.