Um dos métodos contraceptivos mais eficazes é a vasectomia ou cirurgia esterilizadora masculina. O procedimento não é complexo e se efetiva pela interrupção dos canais deferentes tubos que conduzem o espermatozóide do testículo para fazer parte do sêmen.

Inicialmente, o urologista aplica uma pequena anestesia local na bolsa escrotal, onde faz um corte para visualizar o canal deferente, que é seccionado e suturado em cada uma das pontas. O tempo médio da cirurgia é de 30 a 40 minutos. Há a opção de que o procedimento seja feito com o paciente sedado.

Depois de terminar o procedimento, o paciente recebe alta em alguns minutos. Após a operação, a bolsa testicular fica levemente dolorida e inchada. A aplicação de compressas de gelo no local e o uso de analgésicos aliviam o desconforto. Deitar-se de costas e movimentar um pouco as pernas e os pés a cada duas horas, vestindo roupas confortáveis também ajudam na recuperação.

É também indicado repouso de três a cinco dias para retornar ao trabalho. Exercícios físicos devem ser feitos somente após 10 a 14 dias. Os prazos do pós-operatório devem ser sempre combinados com o médico responsável pela cirurgia.

A vasectomia não impede que o homem tenha uma vida sexual ativa. A diferença é que o sêmen não terá mais espermatozóides, o que o impede de engravidar uma mulher.

Efetividade

Independentemente da técnica realizada, a cirurgia esterilizadora masculina é o recurso contraceptivo mais eficiente. Segundo pesquisas, o risco de falhas chega a ser inferior a um por cento.

No caso dos preservativos de látex e diafragma, a chance de uma falha que provoque a gravidez pode ser superior a 10%. Por esses motivos, a vasectomia é cada vez mais escolhida pelos casais que optam por uma maneira segura e confiável de contracepção.

Complicações do procedimento de Vasectomia

Nesse tipo de cirurgia, é possível haver complicações. A recomendação é questionar o médico sobre como agir para superar qualquer tipo de problema o mais rápido possível.

Por ser uma técnica cirúrgica bastante segura, a vasectomia possibilita ao paciente o tratamento fácil da maioria das complicações.

Para que o pós-operatório seja mais tranquilo, o paciente deve ser informado pelo médico sobre as complicações que podem ser provocadas pela cirurgia. Entre elas, estão:

– Dor local;

– Infecção da ferida cirúrgica;

– Sangramento (equimose e hematoma).

Entendendo como funciona a vasectomia, o paciente terá mais condições de escolher se quer submeter-se ao procedimento e qual o momento mais adequado.