Hoje em dia, muitas pessoas ainda acham que não é necessário usar camisinha para se proteger, um engano que pode causar sérios danos a sua saúde. Os fantasmas da AIDS, do HPV, da Herpes, da Sífilis, da Gonorréia e até mesmo da Hepatite B batem à porta sempre que existe um descuido por parte dos envolvidos.

O que é uma DST?

As Doenças Sexualmente Transmissíveis são propagadas principalmente pelo ato sexual sem o uso de preservativo, com uma pessoa que esteja infectada. Algumas DST’s podem não apresentar sintomas em ambos os sexos, contudo o exame anual é recomendável. O ginecologista ou o urologista são especialidades que auxiliam no tratamento dessas doenças.

Sintomas das DST’s

Algumas DST’s não causam sintomas em todas as pessoas que as contraem. Este é o motivo pelo qual são transmitidas facilmente entre parceiros sexuais.

É também errado pensar que uma DST desapareceu, quando não se sente mais alguns sintomas. Muitas Doenças Sexualmente Transmissíveis podem estar presentes e se disseminar pelo corpo, sem causar nenhum efeito desconfortável imediato.

Alguns dos sinais que podem ser o ponto de partida são:

  • Sintomas de gripe: febres, dores de cabeça, suor excessivo, calafrios, fadiga ou gânglios inchados
  • Dores persistentes na garganta
  • Sensibilidade muscular
  • Dores abdominais
  • Erupções na pele
  • Sintomas ginecológicos: dores durante o sexo, irritação, coceira, lesões na pele ao redor da vagina e ânus, ardor enquanto urina, urinar frequentemente e corrimento vaginal
  • Sintomas penianos: corrimento, aumento na vontade de urinar, dor e sangue na urina, dor no sexo, verrugas, bolhas, vesículas, feridas ou úlceras em torno da região peniana e anal.

Prevenção

Para se prevenir de forma eficaz é preciso incluir em sua rotina sexual o uso de preservativo, tanto para sexo oral, vaginal ou anal, a camisinha é o método mais eficiente para a redução da contaminação. Fazer check-up anual com seu médico é imprescindível.

Tratamento

Para o tratamento é preciso descobrir primeiro qual a DST o paciente possui. Cada uma delas pode exigir remédios distintos e por isto é necessário um profissional qualificado para identificar e tratar o problema.