Segundo pesquisa apresentada no encontro anual da Associação Americana de Urologia (AUA), realizado em maio de 2015, os homens podem reduzir o seu risco de desenvolver Câncer de Próstata no futuro através do aumento da frequência das ejaculações.

Esta ideia não é nova, mas agora é apoiada por um dos trabalhos mais confiáveis sobre o assunto, de acordo com a principal autora Dra. Jennifer Rider, uma epidemiologista da Harvard T.H. Chan School of Public Health em Boston.

A Dra. Rider relata que essa conclusão é baseada em dados observacionais e requer cuidado em sua interpretação.

O estudo acompanhou aproximadamente 32.000 homens ao longo de um período de 18 anos. Durante esse período, 3.839 homens foram diagnosticados com Câncer de Próstata, incluindo 384 casos onde a doença foi letal.

Em 1992, durante o recrutamento, todos os homens foram questionados sobre sua frequência média de ejaculação mensal entre as idades de 20-29 anos, 40-49 anos e durante o ano anterior (1991). Foi estabelecido uma média mensal de ejaculações para cada homem, baseando-se nessas respostas.

Depois que potenciais fatores de erro (viés) foram eliminados dos dados, chegou-se à conclusão que o risco de Câncer de Próstata foi 20% menor em homens que ejacularam mais vezes quando comparados com homens que ejacularam somente 4 a 7 vezes por mês. A redução do risco foi observada em homens de todas as idades estudadas.

A média de idade dos homens do estudo foi de 59 anos. A maioria dos homens do estudo eram casados.

A Dra. Rider recomenda que não devemos nos prender no número exato de ejaculações, mas ao invés disso, focar no efeito “dose-resposta”, ou seja, na correlação entre a maior frequência de ejaculações com a redução do risco do Câncer Prostático.

E ela resume: “Atividade sexual segura pode ser benéfica para a ‘saúde’ da próstata”.

Não houve nenhuma associação entre a frequência de ejaculação e o risco para o desenvolvimento de doença mais agressiva, avançada ou letal. A razão para esse fato é desconhecida.

Esses resultados são uma atualização do último estudo publicado pelo mesmo grupo de pesquisadores há 10 anos na revista JAMA.

Vários outros estudos relataram, da mesma forma, que a frequência de ejaculação poderia estar ligada ao risco de Câncer de Próstata, sendo a maior frequência de orgasmos um fator protetor.

Mas os novos dados da pesquisa em questão trouxeram pontos marcantes, segundo a Dra. Rider: o estudo é prospectivo, enquanto a maioria dos outros estudos são retrospectivos, possui um longo período de seguimento e tem informações específicas sobre ejaculação. Enquanto os outros estudos tratavam a ejaculação de forma menos precisa, o estudo liderado pela Dra. Rider tratou o tema de forma mais precisa e objetiva.

Fonte: Best Evidence Yet!: Ejaculation Reduces Prostate Cancer Risk. Author: Nick Mulcahy. Medscape. 17/05/15.

Crédito da imagem: http://www.beatmap.net/