Uma das patologias que mais atingem as pessoas pelo mundo inteiro é a infecção urinária ou infecção do trato urinário. Ela pode afetar diferentes áreas do sistema urinário, que é formado pela bexiga, uretra, ureteres e pelos rins e recebe denominações de acordo com a parte infectada.

Os sintomas da doença são: dor, ardência, incômodo ou sangramentos ao urinar, aumento da frequência com que o paciente vai ao banheiro, cheiro forte na urina e dor lombar, podendo variar em casos mais graves. Caso o paciente se identifique com alguns dos sintomas, deve procurar um médico o quanto antes. Ele irá orientá-lo a realizar exames, para detectar se há ou não uma infecção urinária, e a partir deles e dos relatos da pessoa, também descobrir qual o seu tipo e região afetada.

Alguns dos exames que o médico pode pedir:

  • Exame de urina. Fica pronto em um curto período de tempo e analisa a presença de bactérias, o número de leucócitos (células de defesa do organismo) e outros sinais que identifiquem uma possível infecção. É o exame mais adotado para realizar o diagnóstico da patologia;
  • Urocultura ou cultura da urina. As bactérias presentes na urina do paciente são cultivada em laboratório, por aproximadamente três dias. O exame ajuda a identificar qual a bactéria causadora da infecção e o medicamento correto para tratá-la. O resultado demora de três a cinco dias para ficar pronto;
  • Ecografia/Ultrassonografia, tomografia e radiografia com contraste das vias urinárias (exames de imagem) para detectar quais partes do sistema urinário apresentam a infecção e se há alguma complicação.

O tratamento é iniciado logo após o diagnóstico, quando o médico possui todas as informações necessárias sobre o tipo de infecção. Normalmente, o uso de antibióticos receitados de acordo com os resultados, é o suficiente para a recuperação do paciente. Mas tomar os devidos cuidados com a higiene pessoal é essencial para prevenir a infecção e outras doenças e evitar que ela apareça novamente.