A Testosterona é o principal hormônio masculino. Sua produção se dá de forma totalmente natural no homem, nos testículos em maior proporção e nas glândulas adrenais em menor proporção. Dentre suas funções, podemos destacar as principais que são as de criar as características sexuais masculinas e certos efeitos no corpo, majoritariamente masculinos, como o engrossamento da voz, aparecimento de pelos, o maior volume de massa muscular, dentre outras.

Especialmente por conta dos efeitos secundários do hormônio, muitas pessoas procuram aumentar a sua quantidade no organismo, seja de forma injetável ou via oral. Geralmente, os homens fazem o uso da testosterona para aumentar rapidamente a massa muscular e força, resistência do corpo e melhorar o desempenho nos treinos físicos.

O grande problema dessa prática é que o uso desmedido da testosterona pode causar diversos danos à saúde, podendo induzir a formação de lesões em outros órgãos, como o fígado e os rins. Confira a seguir os principais riscos relacionados ao uso abusivo da testosterona:

Riscos da ingestão abusiva de Testosterona para a saúde:

  • Glândulas: O excesso de testosterona estimula a proliferação de glândulas sebáceas pelo corpo, aumentando a produção de óleos e, consequentemente, aumentando o surgimento de acnes, especialmente em pessoas que já possuem tendência.
  • Pele: A pele pode se tornar mais oleosa e engrossar com o tempo.
  • Voz: A testosterona provoca o engrossamento da voz, por isso, o seu uso desmedido pode causar hipertrofia da laringe e consequente voz grave permanentemente.
  • Cabelos: Muitas pessoas acreditam que, quanto mais testosterona houver no corpo, maior será a quantidade de pelos. O excesso desse hormônio, porém, pode causar a calvície e a diminuição da distribuição de pelos pelo corpo.
  • Comportamento: Distúrbios e instabilidade de humor podem ser uma das consequências do uso desmedido de testosterona, levando a crises de estresse, agitação, irritabilidade e maior agressividade.
  • Órgãos: O uso excessivo de testosterona pode afetar negativamente o funcionamento da medula óssea, o fígado, coração e rins, levando a uma sobrecarga dos mesmos e possíveis lesões futuras.

A suplementação de testosterona é recomendada apenas a pessoas que realmente necessitem da reposição hormonal e deve ser sempre orientada por um profissional especializado, que fará o acompanhamento de todos os efeitos do hormônio no corpo, ajustando as dosagens para não comprometer o seu funcionamento normal.