O câncer de bexiga consiste numa alteração das células do urotélio, uma camada que recobre a parte interna da bexiga. As células alteradas tornam-se malignas e passam a se proliferar de forma rápida, formando tumores que invadem o órgão.

O principal fator de risco para o câncer de bexiga é o uso do cigarro, aumentando sua possibilidade em três vezes. Pessoas que se expõem a produtos químicos ou que tenham inflamações crônicas na bexiga têm também maior propensão a desenvolver o câncer de bexiga.

Quais são os sintomas de câncer de bexiga?

A maioria dos sinais que indicam a possibilidade de câncer na bexiga estão no funcionamento do trato urinário.

Sangramentos urinários (hematúria): o principal sintoma de câncer de bexiga é o sangue na urina. A depender da quantidade de sangue, a urina passa a ter uma cor alaranjada e até mesmo vermelha escura. Como é uma alteração que pode não ser percebida, a realização de exames de urina identificará a hematúria.

Alterações nos hábitos urinários: o câncer de bexiga pode causar algumas alterações, aumentando em muito a frequência de micção, inclusive no período noturno. Pode vir também acompanhada de uma urgência para urinar, mesmo não estando a bexiga cheia, junto com sensações de dor e queimação.

Sintomas em estágios avançados: em estágios mais avançados, o tumor bloqueia a passagem da urina, dificultando ou impossibilitando a micção, além de causar sintomas em outras regiões do corpo, como dores lombares, inchaço nos pés, perda de apetite, perda de peso e até mesmo dores ósseas.

Os sintomas listados acima podem indicar tanto câncer de bexiga quanto qualquer outra alteração no trato urinário. A única forma de se ter um diagnóstico preciso da doença é através de exames de sangue, ultrassonografias, tomografias e outros exames médicos. Na ocorrência de qualquer desses sintomas, é importante procurar um urologista e realizar os tratamentos adequados.