Os cálculos renais, também conhecidos por pedras nos rins, são formações sólidas de cristais que surgem nos rins ou nas vias urinárias. Normalmente esses cristais são formados de ácido úrico, sódio, fosfato, cálcio ou cistina. São frequentes principalmente em homens e, além das intensas dores causadas, também podem bloquear as vias urinárias, rim ou bexiga.

Quais são as causas das pedras nos rins?

As principais causas que levam a cristalização de minerais nos rins é o seu excedente no organismo, especialmente o cálcio, oxalato e ácido úrico, acompanhada da diminuição de outras substâncias que impediriam a formação desses cristais, como o citrato. A medida em que os cristais se aglomeram, transformam-se em pedras.

Pessoas com mais de 40 anos e/ou que possuem histórico familiar de cálculos renais tem maior propensão a desenvolver. Outros fatores de risco são obesidade, baixo consumo diário de água, dietas ricas em proteínas, cálcio e sódio (sal) e doenças no trato digestivo ou urinário.

Quais são os sintomas das pedras nos rins?

Os principais sintomas do cálculo renal são dores agudas nas regiões dos rins que são a regição lombar e abdominal inferior, indo até a região genital. É muito comum que essas dores sejam acompanhadas de náuseas e vômitos. No ato de urinar, observa-se um grande desejo seguido de uma dificuldade de expelir a urina (se as vias urinárias estiverem obstruídas pelos cálculos), além de grande ardência e presença de sangue na urina.

Diagnóstico e tratamento

Em fase inicial, o cálculo renal pode não apresentar sintomas, uma vez que os cristais são muito pequenos. Seu diagnóstico é feito com exames de sangue, urina, ultrassonografia e radiografias da região.

Em fase inicial, o cálculo renal pode não apresentar sintomas, uma vez que os cristais são muito pequenos. Seu diagnóstico é feito com exames de sangue, urina, ultrassonografia, radiografia e tomografia da região.

Se os cálculos renais forem identificados em período inicial, assintomático, o tratamento não é invasivo, feito pela prescrição de medicações específicas. O tratamento dependerá bastante do tipo de formação de cálculos, seu estágio e localização. Em estágios mais avançados, são prescritas também medicações para aliviar as dores. Pedras maiores não são expelidas sozinhas e podem causar sangramentos e outras lesões, como infeções ou danos mais graves nos rins. Nesses casos, existem procedimentos de retirada das pedras, que são a nefrolitotripsia transureteroscópica, nefrolitotripsia percutânea e ureterolitotripsia. Somente o urologista poderá avaliar e indicar o melhor tratamento para a remoção das pedras nos rins.