É comum homens se questionarem acerca do tamanho do seu pênis. Nos últimos anos, a procura por cirurgias de aumento peniano cresceu em todas as partes do planeta. Segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, em 2014 foram realizadas no mundo mais de 15 mil operações de aumento peniano. O Brasil ocupa o sétimo lugar no ranking dos países com mais cirurgias do tipo em uma lista liderada pela Alemanha.

Esse tipo de modificação tornou-se uma necessidade para muitos homens, principalmente pelo fato de o tamanho do pênis estar muitas vezes associado à autoestima, em culturas que insistem cada vez mais em supervalorizar tamanhos acima da média de uma população.

Porém, como toda cirurgia, o aumento peniano não é isento de complicações e pode até mesmo ter complicações sérias, como:

  • Deformidades: as técnicas de aumento peniano podem causar cicatrizes hipertróficas, que levam a grandes deformidades estéticas no órgão, como a escrotalização ou alteração de sua angulação no momento da ereção.
  • Lesões: danos à estrutura do pênis, lesões neurológicas e arteriais, que podem causar infecções, formação de abcessos, perda de sensibilidade e até mesmo da ereção.
  • Problemas urológicos: Além de problemas relacionados à ereção, as cirurgias de aumento peniano podem também causar complicações urológicas como problemas no ato de micção e consequentes infecções urinárias.

As cirurgias de aumento do pênis podem causar um crescimento de até quatro centímetros, porém é importante lembrar que esses procedimentos não afetam o seu tamanho quando ereto.

Quando é indicada a cirurgia de aumento peniano?

Apesar do apelo estético cultural, as principais indicações para a cirurgia de aumento peniano são apenas para a resolução de problemas em sua capacidade funcional, a exemplo de casos de micropênis, epispádias, situações graves de hipospádias, retrações consequentes da doença de Peyronie, amputações parciais por câncer e outros problemas traumáticos.

Qual é o tamanho normal do pênis?

O tamanho médio do pênis é de 8,5 a 9,5 cm em flacidez, e de 13 a 14 cm em ereção. Uma situação de micropênis caracteriza-se por um tamanho inferior a 7 cm em ereção. Observa-se porém, que grande maioria dos homens que procuram por cirurgia de aumento do pênis possuem o órgão em tamanho médio em total funcionalidade e, por isso, não representam nenhuma das situações de indicação mencionadas acima.

Diante desse fato, é importante lembrar que, segundo a resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde e a resolução 1478/97 do Conselho Federal de Medicina, a cirurgia de aumento peniano como procedimento estético de um pênis funcional deve ser encarada sempre em caráter experimental e realizada em centros de pesquisa.